07 de fevereiro de 2019 Reviews e Análises
Você está prestes a presenciar uma das mais estranhas reuniões já realizadas - a união das quatro pessoas mais incomuns do mundo! Sente-se calmamente nas sombras dessa conferência clandestina e observe-a bem! 

Confesso que meus únicos conhecimentos sobre a Patrulha do Destino eram baseados em dois momentos muito específicos: quando li na infância, pela primeira vez, Os Novos Titãs, ao mencionarem que o Mutano tinha pertencido ao grupo e na adolescência, quando li a primeira edição do arco Rastejando dos Escombros de Grant Morrison. Lembro que esse último me deixou com a sensação de "é demais até pra mim" e desencanei.

Com o anúncio de uma série baseada nos heróis mais estranhos do mundo pelo serviço de streaming da DC Comics (que ainda não sabemos se será disponibilizada pela Netflix, como foi feito com Titãs) decidi não só consertar esse descaso de quase vinte anos, mas também entender “o que diabos o Ciborgue está fazendo neste cartaz?” 


A Origem

A primeira aparição da Patrulha do Destino foi em junho de 1963 na revista My Greatest Adventure. Ali somos apresentados a formação original do grupo: Niles Caulder -  o Chefe - reúne o ex-piloto de corridas Cliff Steele, a ex-atriz de Hollywood Rita Farr e o ex-piloto de testes aéreos Larry Trainor que após acidentes sofridos enquanto exerciam seus trabalhos habituais, ganharam condições especiais e viraram párias da sociedade. Steele, após um acidente automobilístico, tem seu cérebro transferido para um corpo metálico, se tornando o Homem-Robô; Farr, em um set de filmagens na África fica exposta a gases que alteram sua condição física, sendo possível alterar de tamanho, se tornando a Mulher-Elástica; Trainor foi atingido por uma radiação cósmica e transforma-se no Homem Negativo

A narrativa gráfica segue bem os quadrinhos da época, sem muitas novidades na diagramação. A arte do italiano Giordano Bruno Premiani (creditado como co-criador da Patrulha do Destino) é competente e segue bem o estilo da época.


A Era Grant Morrison

Grant Morrison assumiu a Patrulha do Destino no final dos anos 80 com o arco Rastejando dos Escombros que deixou para trás qualquer traço com as histórias simples de super-heróis. O que se iniciava era uma narrativa nonsense, beirando ao surrealismo, que explica o meu desencanto na época: eu não estava preparada para a viagem que, sem nenhum psicotrópico, Grant Morrison estava me oferecendo.

Muita coisa já tinha acontecido ao grupo: novos membros foram admitidos (Mento, Mutano, Celsius, Vendaval, Mulher Negativa, Karma, Blaze e Lodstone), outros morreram e alguns, tentaram desistir. A formação da Era Morisson resgata o Chefe, o Homem-Robô, o Vendaval e o Homem-Negativo (agora Rebis), acrescentando Kay Challis, a Crazy Jane (que possui múltiplas personalidades e cada uma delas tem um poder diferente) e Dorothy Spinner (uma garota com feições símias que pode tornar físico coisas que imagina).

Em Rastejando dos Escombros nossos heróis são confrontados com Homens-Tesouras que somem com as pessoas, deixando apenas o espaço vazio que elas ocupavam no momento que foram “recortadas”. Esses vilões são oriundos de uma cidade fictícia criada por intelectuais e filósofos, e parece estar se misturando e sugando a nossa realidade.

Li e ouvi algumas críticas a arte de Richard Case, que não se sobressai realmente, mas impressiona por conseguir dar vida as alucinações (não consigo encontrar outro adjetivo) de Morisson. E isso já é um grande feito!


Após a saída de Morisson do título muita gente passou por ele, até Gerard Way - roteirista de outra HQ que também vai virar série de TV, Umbrella Academy  - mas ninguém conseguiu superar o sucesso do escritor irlandês.

E o Ciborgue?

Cheguei até aqui para dizer: não faço ideia! Ciborgue não fez parte de nenhuma das formações dos quadrinhos e as únicas coisas que o aproximam do grupo é sua origem heroica trágica e a amizade com Mutano.


Título
: My Greatest Adventure #80
Autor: Arnold Drake e Bob Haney (roteiro) e Bruno Premiani (arte)
Tradução: Sem tradução para o Português
Editora: DC Comics (vendido por comiXology)
Ano: 2007 (Digital Release)




Título:
Patrulha do Destino - Rastejando dos Escombros
Autor: Grant Morrison(roteiro) e Richard Case (arte)
Tradução: Fabiano Denardin e Érico Assis
Editora: Panini Comics
Ano: 2016
Ficha completa no Guia dos Quadrinhos