10 de agosto de 2017 Notícias

O personagem de Snoke apareceu em Star Wars VII: O Despertar da Força e trouxe polêmicas e dúvidas. Quem é esse cara? De onde ele veio? Seria uma reencarnação de Palpatine ou de Vader? Como ele arrastou Kylo Ren para o lado negro? Por mais que a gente esteja doido para saber as respostas para essas perguntas, não deve ser em Os Últimos Jedi que teremos todas as respostas.

Snoke vai ter muito mais tempo de tela no novo filme da saga que estreia em Dezembro, mas de acordo com o diretor Rian Johnson, isso não quer dizer que iremos aprender muito sobre o seu passado. "Assim como a paternidade de Rey, Snoke está no filme para servir a uma função à história. E a história não é uma página do Wikipédia. Por exemplo, na trilogia original, nós não sabíamos nada sobre o Imperador exceto o que Luke sabia sobre ele, que ele era o cara malvadão por trás de Vader.  Depois, nos episódios 1, 2 e 3, a gente descobre tudo sobre Palpatine, porque a sua ascensão ao poder era parte essencial da história. Em "Os Últimos Jedi" iremos aprender somente o necessário para a história sobre Snoke".

Ryan Johnson também disse, desmentindo boatos recentes, de que ainda é Andy Serkis o responsável pelos movimentos e voz de Snoke e que o personagem será totalmente em CGI mesmo. Boatos recentes afirmavam que Snoke iria ser uma marionete em "Os Últimos Jedi". 

Nos resta torcer para que, pelo menos no Episódio 9 todo o mistério ao redor desse personagem seja revelado e não em quadrinhos, livros ou spin-offs. Mas uma coisa é certa. A declaração de Johnson é um balde de água fria nos teóricos de plantão, que estavam loucos para saber se estavam certos de que o Snoke é o Jar Jar sem bico mesmo.